| 

Notícias

Brasil quer exportar frango para a Indonésia já em 2018

A OMC reconheceu nesta terça-feira que o país asiático colocava limitações sem justificativa à carne brasileira

Data: 18/10/2017

Granjas brasileiras exportam partes de frango, como pescoço e coxa 
Foto: Dreamstime

O governo brasileiro avaliou que a decisão da Organização Mundial do Comércio (OMC) anunciada ontem em painel aberto contra a Indonésia permitirá a eliminação de entraves à exportação de carne de frango, possibilitando que os embarques ao país asiático comecem já no ano que vem.

Segundo o subsecretário de Assuntos Econômicos do Itamaraty, Carlos Cozendey, a OMC reconheceu que a Indonésia colocava limitações sem justificativa ao frango do Brasil, o maior exportador global do produto.

Cozendey ressaltou que o Brasil conseguiu derrubar na OMC todas as dificuldades que a Indonésia colocava para exportações: barreiras sanitárias, lista de limitação de importação e demora excessiva na emissão de licenças.

O potencial do mercado da Indonésia para a carne de frango do Brasil é estimado pelo governo em entre US$ 70 milhões e US$ 100 milhões por ano, no médio prazo.

Cozendey disse que o País já trabalha na implementação da decisão da OMC, pois acredita que, mesmo que a Indonésia recorra, uma nova decisão do órgão de comércio não alteraria significativamente o que foi decidido.

A partir da publicação da decisão da OMC, o que deve ocorrer no dia 22 de outubro, o Brasil já começará a negociar com a Indonésia como será o cumprimento das decisões do órgão. Dessa forma, o Brasil acredita que poderá começar a exportar para a Indonésia a partir de 2018.

"Esta é uma vitória fundamental, que deve impactar positivamente no desempenho das vendas de carne de frango em 2018", disse o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra.

"A estimativa é chegar a US$ 70 a US$ 100 milhões anuais em exportações em dois a três anos. Pode até surpreender e ser mais, pode ter um potencial maior. Esse é o cálculo inicial", acrescentou o vice-presidente de mercados da ABPA, Ricardo Santin, após uma coletiva de imprensa em Brasília.

"A questão com a Indonésia não é que ela não importa do Brasil. Ela não importa de ninguém. É uma questão de proteção do mercado interno. A decisão vai abrir para todo mundo", acrescentou Santin, destacando que o Brasil enfrentará competição dos EUA e Irlanda pelo mercado.

Conforme Santin, o Brasil exporta partes de frango, como pescoço e coxa desossada, que os EUA, por exemplo, não teriam disponíveis para vendas.

Entre os grandes exportadores de carne de frango do Brasil estão a BRF, a JBS.

Mercado Islâmico

Maior produtor e exportador de frango halal do mundo, o Brasil também tem essa vantagem competitiva de vender um produto demandado pelo mercado islâmico, que recebe um terço do que o Brasil exporta.

Em 2016, apenas o Oriente Médio - principal destino dos embarques brasileiros - importou 1,57 milhão de toneladas, gerando receita superior a US$ 2,3 bilhões, segundo a ABPA. Ao todo, o Brasil exportou 4,38 milhões de toneladas no ano passado, com receita de US$ 6,8 bilhões, de acordo com dados da ABPA.

Com população de maioria muçulmana, a Indonésia é um dos mercados com maior potencial de expansão no consumo de proteína animal mundial, ressaltou a associação. Cada habitante do país consome, em média, 6,3 quilos do produto por ano, enquanto no Brasil este indicador chega a 41 quilos per capita.

A ABPA já está em contato com associação de produtores e processadores de frango da Indonésia, para iniciar os negócios. Uma missão esteve aqui no Brasil no mês passado para começar os primeiros contatos, revelou Santin.

Toda a produção de frango da Indonésia, de 1,64 milhão de toneladas em 2016, é direcionada ao mercado doméstico, segundo a ABPA.

Fonte: DCI

Veja Mais