| 

Notícias

Agrishow anuncia R$ 2,2 bilhões em negócios e sinaliza retomada do setor agrícola brasileiro

Realizada em Ribeirão Preto (SP), feira recebeu 159 mil visitantes até esta sexta-feira (5)

Data: 08/05/2017

Considerada a maior feira agronegócio da América Latina, a Agrishow movimentou R$ 2,204 bilhões em negócios na 24ª edição, que termina nesta sexta-feira (5), em Ribeirão Preto (SP). Isso representa crescimento de 13% em relação ao ano passado e, segundo os organizadores, indica a retomada do setor agrícola brasileiro. 

O presidente do evento, Fábio Meirelles, destacou que os números são parciais e que a expectativa inicial de aumento de 15% na venda de máquinas e implementos agrícolas deve se confirmar até o fechamento da feira, cujos dados serão divulgados nos próximos dias.

“No ajustamento, possivelmente, vamos alcançar o que eu previ: quase R$ 2,3 bilhões. Isso quer dizer que a atividade agrícola está caminhando de mãos dadas com a evolução tecnológica, o aprimoramento das necessidades que o campo tem de absorver mão de obra, diminuir custos e operacionalizar melhor as atividades”, disse.

Presidente de honra da feira, o empresário Maurílio Biagi reforçou que a Agrishow gera 25 mil empregos diretos e indiretos, e movimenta cerca de R$ 500 milhões na economia regional, com a contratação de trabalhadores, ocupação da rede hoteleira, entre outros serviços.

Os dados foram confirmados pelo prefeito Duarte Nogueira (PSDB), destacando a importância do evento para todas as cidades da Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP), recém-instalada, já que alguns turistas e empresários chegam a se hospedar a até 100 quilômetros da Agrishow.

"Depois de três anos consecutivos de regressão na economia, esses são números fabulosos, é a certeza de que nós colhemos não só uma supersafra, como o Brasil sinaliza para o mundo que vai renovar grande parte do seu parque de máquinas, vai melhorar a sua tecnologia, vai aumentar a produtividade, a sua eficiência", afirmou.

DADOS SETORIAIS

O presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA), Pedro Estevão Bastos, afirmou que, individualmente, os setores que compõem a Agrishow registraram os seguintes índices de crescimento em volume de negócios:

 

  • Armazenagem: 11%
  • Máquinas e implementos para grãos: 12%
  • Equipamentos para pecuária: 11%
  • Irrigação: 20%
  • Outros equipamentos: 19%

 

Agente nacional de vendas da Agritech, fabricante dos tratores e microtratores com sede em Idaiatuba (SP), Nelson Watanabe confirma o resultado positivo, destacando que empresa atingiu 92% da meta e registrou crescimento de 15% nas vendas, em relação ao ano passado.

"Na verdade, 2015 e 2016 foram anos ruins. A gente estava no fundo do poço, então o crescimento ainda é pequeno. Para chegar a patamares das antigas feiras, teríamos que crescer como o mercado de tratores cresceu, quase 50% no primeiro trimestre", disse.

Watanabe afirmou que programas de crédito, como o Pró-Trator, do governo paulista, foram fundamentais para alavancar os negócios, principalmente porque o público alvo da Agritech são pequenos e médios produtores, os mais afetados pela crise.

Durante a abertura da Agrishow, na última segunda-feira (1º), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assinou decreto para abertura de crédito aos programas Pró-Trator e o Pró-Implementos, no valor de R$ 137 milhões.

"Essas linhas de crédito são muito importantes. Até por isso a gente tem certa preocupação se o valor anunciado vai ser suficiente para atender toda a demanda, atingir todas as expectativas de proposta. A gente tem que fazer a coisa virar", afirmou o agente de vendas.

O presidente da Jacto Agrícola, Fernando Gonçalves, também estimou crescimento entre 15% e 20% nas vendas, afirmando que esse volume de negócios já demonstra a recuperação do setor em relação aos últimos três anos.

"Nós tivemos, por exemplo, agricultores que há 10 anos não visitavam uma feira e que ficam impressionados com os lançamentos, ou seja, produtores que querem evoluir, mudar o produto que já têm, trocar o produto mais antigo, e eles passam a ser clientes novos", afirmou.

INFRAESTRUTURA

Segundo os organizadores, 159 mil pessoas passaram pela Agrishow nos cinco dias de evento - aumento de 6% em relação à edição passada. O diretor técnico José Dagnesi afirmou que não foram registrados problemas graves, citando que não houve falta de eletricidade e de água.

Entretanto, as falhas de sinal de celular e internet móvel voltaram a se repetir, prejudicando, principalmente, os expositores. Na segunda-feira, dia da abertura do evento e de maior visitação devido ao feriado pelo Dia do Trabalho, as máquinas de cartão de crédito não funcionaram.

Dagnesi alegou que o sistema de telefonia foi reforçado com a instalação de Estações de Rádio Base Móveis (ERBs) no Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico, onde ocorre o evento, e afirmou que o problema deve ser solucionado pelas operadoras.

"A gente pretende convidar uma empresa para colocar uma torre de telefonia, porque as ERBs não deram conta. Mas, que fique bem claro, isso não é responsabilidade da organização, mas da Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] e das operadoras de telefonia celular", afirmou.

Vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Francisco Matturro assume a presidência da Agrishow para o biênio 2018-2019 

NOVO PRESIDENTE

A 24ª edição da Agrishow também foi a última sob a gestão de Meirelles, que também preside a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp). Ele ficou à frente do evento por dois anos.

A partir de 2018, assume a presidência da feira Francisco Matturro, vice-presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), uma das quatro entidades organizadoras da feira, e também diretor da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA).

"Trabalhar nas restrições, nas políticas públicas, nos financiamentos, é uma tarefa complicada e a gente tem feito isso ao longo dos anos. Estamos trabalhando para buscar as políticas públicas adequadas para que as vendas continuem acontecendo e os agricultores tenham acesso aos recursos para financiar suas safras", afirmou.

Matturro aproveitou o discurso de posse para anunciar a publicação de um livro em comemoração aos 25 anos da Agrishow, que será lançado no próximo ano. A edição contará com o depoimento de todos os organizadores, desde a primeira edição.

Fonte: Portal G1

Veja Mais